quarta-feira

Canção para uma valsa lenta


'Minha vida não foi um romance...
Nunca tive até hoje um segredo.
Se me amas, não digas, que morro
De surpresa... de encanto... de medo...
Minha vida não foi um romance
Minha vida passou por passar
Se não amas, não finjas, que vivo
Esperando um amor para amar.
Minha vida não foi um romance...
Pobre vida... passou sem enredo...
Glória a ti que me enches de vida
De surpresa, de encanto, de medo!
Minha vida não foi um romance...
Ai de mim... Já se ia acabar!
Pobre vida que toda depende
De um sorriso.. de um gesto.. Um olhar...

Mário Quintana (in: Canções Porto Alegre: Globo, 1946)

Um comentário:

morg disse...

tem uma coisa pra você lá
eblooks.wordpress.com


tão feliz em ter encontrado vc amigo!

beijos